Nenhum produto no carrinho.

Nenhum produto no carrinho.

Nenhum produto no carrinho.

Não será exagero dizer que os mais belos encontros e eventos artísticos nascem da potente semente do sonho. Assim também é para um coletivo de vozes ou instrumentos que um dia alguém intimamente desejou transformar em realidade. Sonhar movimenta a cultura e a engrenagem da vida e, diante dos tempos atuais, o sonho coletivo de novos dias, torna-se urgente.

É preciso confiar e “sonhar coisas boas que o homem faz”, como diz Coração Civil (Fernando Brant e Milton Nascimento), e “esperar pelos frutos do quintal”. O sonho equivale ao plantio, pois dele vem o alimento que nutre a terra e a planta, resultando nos frutos do quintal. Nosso sonho, assim como o da canção, é um anseio por felicidade, alegria, amizade, liberdade, sol, justiça. Quem sonha essa gestação de frutos doces que alimentam nossas fomes coletivas de tantos tipos? A arte? O poeta? Os articuladores culturais? Certamente o encontro deles com outras pessoas sonhadoras, as que apostam junto e se lançam na aventura de viver na perspectiva da esperança. O sonho inspira, rege em silêncio o levante de outros desejos.

O tema do sonho, escolhido para esta edição do nosso festival, é um convite a todas as pessoas que acreditam na arte e na força do coletivo: para que elas nunca deixem de apostar nessa força e que possamos fazer isso em uníssono: sonhar e, num segundo momento, realizar, pois, como diz outra canção “sonho que se sonha junto é realidade” (Prelúdio, Raul Seixas). O FIC alcança a maioridade dos 18 anos com energia e novas possibilidades. O sonho maior é celebrar coletivamente nossa reunião com uma bela festa de cantos, cores e sotaques diversos.

O desejo de encontro é também um desejo de ocupação. Queremos que nosso sonho ganhe corpo para alcançar ouvidos e corações de um público amplo. Os eventos, desta vez, acontecerão em cerca de 100 espaços de cidades históricas mineiras, sempre com atenção aos cuidados e adequações exigidos pelo momento histórico que vivemos. Explorando a dupla significação da palavra sonho é nossa aspiração criar, em locais variados, uma ambiência de encantamento para as pessoas que vão assistir às apresentações, possibilitando o acesso ao bem-estar de alma que a arte pode proporcionar.

O coração do nosso festival é o grupo. Para fazer brilhar nosso encontro, ficaremos felizes em receber corais, bandas e orquestras de todo o Brasil e também de outros países. Com alegria renovada, damos as boas-vindas a você, companheiro e companheira de sonho da equipe do 18º Festival Internacional de Corais!

O tema do sonho inspirou muitíssimas belas canções no Brasil. Fizemos uma lista com algumas. Compartilhe com a gente sua lembrança de outras músicas que tematizam o sonho!

Sonho meu, de Dona Ivone Lara. E ainda de uma que, se não me engano foi tema de escola de samba e que começa assim: “Sonhar não custa nada e o meu sonho é tão real…”

  • “Os sonhos não envelhecem”
  • “Quem sabe isso quer dizer amor estrada de fazer o sonho acontecer”
  • “Planeta Sonho”
X